terça-feira, fevereiro 19, 2008

as tardes crescem ao inverso
quando chega a tua ausência
roubando-me a solidão

3 comentários:

Minina disse...

dizem por aí q qdo a gente gosta e ñ tem por perto, é um pedaço da gente q vai longe.

acho q é um pedaço d td: da tarde, do céu, dos livros (eles ficam incompletos), do cheiro das coisas... td fica sem pedaço qdo levam um nosso pedaço por aí, ñ sei pra onde...

gostei deste, principalmente do primeiro verso: dá uma embolada na cabela da gente, exatamente como embola a nossa cabeça a ausência qdo chega. adorei.

ahhh, fiqei curiosa: como vc faz pra escolher onde postar? heheheh

um bjo, qerido.

ahhh, é, sim, eu tenho um flickr!!! hahahah

té!

Luzzsh disse...

Pena...agora sei o que é isso.

Belo. Beijos.

osrevni disse...

É uma dádiva, a capacidade de concentrar tanto lirismo em tão poucos versos.