sábado, novembro 11, 2006

azul
porque nada mais cabe
na descrença de nós
(abraçados ao medo
somos dois ecos no mesmo lugar)

3 comentários:

Rayanne disse...

Não me fale do medo,
O medo eu trago escondido entre os sonhos.
O medo como pretensão do que queria voltar.
Mas o meu medo é amarelo, e o zul espanta o medo do caminhar.

**Estrelas**

pedro pan disse...

, ecos em tons azulados. lado a lado. alados...
|abraços meus|

Wilson Guanais disse...

vou levar mais 1 poema seu pra lá.

abraço