sábado, setembro 12, 2009


nas tessituras de um frágil voo
eclipsada por um céu-nanquim
mergulha-se poente a andorinha

Um comentário:

Clara Bianca disse...

andorinha corre solta no voar do poeta... encantada com tudo que leio aqui e ali de vc.
beijos de pó de vôou