terça-feira, outubro 16, 2007

numa tarde perto do fim
andorinhas aninham
restos de memórias
que não couberam no sol

2 comentários:

Valéria disse...

as tardes vivem de andorinhas e as memórias vivem de fim...
beijo

alex pinheiro disse...

Breves, com certeza... Mas jamais caber irão no silêncio,,,
Período do dia que não gosto pois enxergo menos ainda, rs

Abraços e sensíveis invenções!