sexta-feira, setembro 01, 2006

a felicidade aportou
eu estava longe de casa
a felicidade esperou
eu cheguei atrasado
a felicidade partiu
eu estava de malas vazias

(despedi-me de mim)

3 comentários:

Ivã Coelho disse...

A felicidade sempre está onde não estamos nós. Curioso!

Você tem blog demais, meu caro. Muitos desdobramentos.

Continue assim.

Abçs

Rayanne disse...

Há sempre asas a empunhar quando se perde a linha, há sempre um novo gosto para um econtro novo...

**Estrelas**

pedro pan disse...

, este poema é daqueles que você lê inúmeras vezes e quer ler mais... várias leituras...
|abraços meus|